top of page

O que é o medo?
O medo é uma emoção desagradável desencadeada pela percepção de perigo, real ou imaginário.
Quando falamos de ansiedade, preocupação e angústia são termos que podem estar se referindo ao medo.

Como podem ser geradas as fobias?

O medo desproporcional pode gerar as fobias, assim como claustrofobia (medo de lugares fechados), agorafobia (medo de permanecer sozinho em lugares abertos ou fechados), fobia social (medo do convívio social), aracnofobia (medo de aranhas), coulrofobia (medo de palhaço), acrofobia (medo de altura) ou outros tipos de fobias.


Quais são os medos ou as fobias mais comuns que tem aparecido
no consultório?

No consultório é muito comum aparecer os seguintes medos: de dirigir, do escuro, de barata ou de insetos, de rato e de falar em público e agorafobia.
 

Indicamos a leitura do livro “A lei do Triunfo” de Napoleon Hill para que os clientes possam buscar o autoconhecimento e entender um pouco mais sobre as dinâmicas para o desenvolvimento pessoal e outros assuntos correlatos, sendo que existe um capítulo sobre o medo, onde são apresentados os seis maiores medos da humanidade:

- Medo da Pobreza – Hill acreditava que a palavra ‘Sociedade’ deveria ser escrita com $ ‘$ociedade’, porque ela está inseparavelmente associada ao dinheiro. Enquanto que os animais dominam uns aos outros fisicamente, o homem devora seus semelhantes economicamente. É fácil perceber o impacto que o dinheiro ou a falta dele pode causar na vida pessoal de alguém e na sociedade como um todo. É claro que nenhum homem teria medo, se tivesse base para confiar nos outros homens, pois existe alimento, abrigo e vestuário suficiente para as necessidades de cada pessoa. O problema é o homem querer para si mais do que o necessário.

- Medo da Velhice É compreensível este medo porque é o estágio que estaremos caminhando ao final do ciclo da vida. Uma pesquisa realizada pelo Instituto Qualibest em 2017 revela que 9 em cada 10 brasileiros têm medo de envelhecer. Gerontofobia é o nome dessa síndrome que define aversão ou medo patológico de pessoas idosas ou do processo de envelhecimento. Os sintomas afetam os pensamentos e causam ansiedade.


- Medo da Crítica Aqui o medo do que os outros possam pensar sobre nós é uma constante em nossa sociedade. Nos vestimos de acordo com a moda? Temos o padrão de beleza exigido? Temos ou não temos uma religião? Qual partido político apoiamos? Essas escolhas podem fazer as pessoas se aproximarem ou se afastarem de nós.


- Medo de Perder o Amor de Alguém – Não apenas no sentido de um casal, mas também este medo pode se expandir para o campo familiar, o medo que a família deixe de nos amar por conta de como conduzimos nossas vidas poderia sim entrar nesta categoria.
 

- Medo da Doença – De acordo com Hill, esse medo em grande parte, derivam do medo da pobreza e da velhice.


Além dos fatores bem conhecidos que podem afetar nossa saúde como má alimentação, falta de atividade física, consumo excessivo de substâncias licitas ou ilícitas; existe um outro fator psicológico chamado de somatização que pode desencadear doenças na pessoa.
A somatização é uma representação física de um desequilíbrio emocional, dores de cabeça, resfriados constantes, gastrite, dores no corpo, alteração de peso entre outros sintomas sem causa aparente; então surge a raiva, a culpa, o medo, a ansiedade e o ressentimento como respostas; o organismo se colapsa porque a pessoa não sabe ressignificar as emoções; é importante ser flexível, respeitar seus limites e não tentar resolver tudo sozinho(a).

- Medo da Morte – Esse medo tem sua base nas seguintes perguntas “De onde vim? e Para aonde eu vou?” O medo natural do ego de cada um é a morte, ou seja, a possibilidade de não existir mais. Não vamos entrar no mérito do que poderá acontecer depois que morremos, mas independente disso, devemos olhar para nossa vida e buscar melhora-la um pouco mais e ajudar o nosso entorno quando possível. Não seria ótimo construirmos um mundo em que de geração em geração exista mais oportunidades para todos se desenvolverem no âmbito pessoal e profissional? Não seria bom existir mais paz e fraternidade entre todos os povos?


Como tratamos os medos e as fobias com terapia?
Durante o atendimento, podemos tratar os medos e fobias citados acima ou mesmo outros tipos, sendo que o primeiro passo é investigar quando foi originado este sentimento (se possível), no segundo momento que a pessoa passa por um processo de ressignificação e depois fazemos reforço positivo do(s) novo(s) comportamento(s), sentimento(s) e pensamento(s), fazendo com que ela desenvolva auto controle sobre seus impulsos e redirecione sua mente para um estado de segurança.

Redatora - Alynne D. P. N. Sant'Anna

  • Facebook
  • Instagram
WhatsApp-icone 2.png

agende hoje
sua sessão

bottom of page